Estado Nutricional e Composição Corporal de Jogadores de Futebol Profissional

A composição corporal é um aspecto importantíssimo para o nível de aptidão física de jogadores de futebol profissional. O presente estudo objetivou descrever o estado nutricional e a composição corporal durante o período de pré-competição e competição e por posição dos jogadores. A amostra foi composta por 367 jogadores de futebol profissional, do gênero masculino, com idade igual ou superior a 18 anos (18 a 36,9 anos), pertencentes ao Paraná Clube, no período de 2002 a 2009. Foram coletados dados de idade, peso, altura e dobras cutâneas, sendo posteriormente calculado o índice de massa corporal (IMC), percentual de gordura corporal (%GC), gordura absoluta (GA) e massa magra (MM). A análise dos dados foi feita utilizando a estatística descritiva. Os principais resultados foram: no período de pré-competição, IMC e %GC encontraram-se adequados 23,7 ± 1,54 Kg/m² e 10,0 ± 2,41%, respectivamente, e durante a competição, 23,6 ± 1,36 Kg/m² e 9,9 ± 2,28%, e foram semelhantes em todas as variáveis quando comparados os períodos de treinamento. Comparando IMC e %GC foi observado que não houve boa correlação (r = 0,51 e 0,52). Em ambos os períodos, os goleiros e zagueiros apresentaram maior peso corporal, altura, percentual de gordura, gordura absoluta e massa magra, em contrapartida, os laterais foram os que demonstraram os menores valores. Assim sendo, pode-se concluir que não existem diferenças entre os períodos avaliados, entretanto, o mesmo não ocorre quando comparadas entre as posições. Destaca-se a importância da realização de outros estudos com o objetivo de conhecer a composição corporal de jogadores de futebol profissional brasileiros.

O futebol ocupa um lugar importante no contexto esportivo contemporâneo, visto que não se trata de um mero espetáculo, mas também um meio de Educação Física esportiva e um campo de aplicação da ciência (Garganta, 2002). Este esporte é o mais popular do mundo, e é praticado por homens, mulheres, crianças e adultos. Devido às grandes dimensões do campo de jogo e da duração de uma partida, cada atleta desempenha uma função específica dentro da equipe, a saber: zagueiros, meio-campistas, goleiros, atacantes e laterais. De acordo com cada posição e padrões táticos, a distância total percorrida por um jogador é diferente dos demais, bem como o tipo e a intensidade das ações realizadas. Tais variáveis colaboram com uma sobrecarga adicional ao metabolismo (Guerra, Soares e Burini, 2001; Prado e colaboradores, 2006). O esporte de alto rendimento exige constante aprimoramento do nível de conhecimento sobre suas variáveis intervenientes (morfológicas, fisiológicas, psicológicas, biomecânicas, cognitivas, entre outras). O futebol, por sua condição específica, envolve um grupo elevado de atletas e é disputado em diferentes condições climáticas, com alternativas técnicas, táticas e físicas variadas, constituindo, portanto, um esporte de elevada complexidade de interpretação e estudo. Tendo em vista esse conjunto de variáveis, o estudo da composição corporal representa um dos elementos importante para identificar o perfil do atleta de futebol (Fonseca, Marins e Silva, 2007). A avaliação e a determinação das características antropométricas (estatura, massa corporal e composição corporal) se faz essencial para o sucesso de uma equipe não só durante um jogo, mas durante toda a temporada (Shephard, 1999), serve como um método para analisar o estado nutricional e prescrição de treinamento. Portanto o objetivo do presente estudo foi descrever o estado nutricional e composição corporal no período de pré- competição e competição e por posição, de jogadores de futebol profissional, do gênero masculino, no período de 2002 a 2009, pertencentes ao Paraná Clube e correlacionar IMC e %GC.martinuccio-ralff-616x345